Afro Fashion Day 2018

capa No último sábado, aconteceu a 4ª edição do Afro Fashion Day, desfile realizado pelo Correio com produção de moda assinada por Fagner Bispo e que tem como principal objetivo a promoção da cultura negra, ressaltando sua representatividade no cenário baiano. Que prazer ver tantas inspirações lindas de cores, estampas, modelagens e, mais importante, perceber o uso da moda como afirmação.

Com o tema Cor e Identidade, o Afro trouxe produções que ressaltaram as características típicas da cultura negra presentes nas roupas e valorizou o colorido das peças, com blocos de looks de diversas cores sendo desfilados.

48 marcas participaram do evento e, desde as imagens de divulgação, ficou claro o destaque aos acessórios de impacto. Na passarela, diversas composições combinaram a cor das roupas com bolsas, colares e até com os cabelos, mostrando a força do monocromático.

De casamento a baile funk, os espectadores saíram de lá encantados com toda a beleza e criatividade. Veja um pouco do que rolou no Museu du Ritmo.

2018 Bocciaphoto AFD-10112018 Bocciaphoto AFD-10212018 Bocciaphoto AFD-10532018 Bocciaphoto AFD-10922018 Bocciaphoto AFD-11032018 Bocciaphoto AFD-11112018 Bocciaphoto AFD-11362018 Bocciaphoto AFD-11382018 Bocciaphoto AFD-11722018 Bocciaphoto AFD-11752018 Bocciaphoto AFD-11872018 Bocciaphoto AFD-1182

À exceção da primeira, as fotos que ilustram o post são de Florian Boccia.

Anúncios

Look jeans com jeans

Dizer que amei um look que tô postando é bem óbvio, certo? 😅 Mas como encontrar outra palavra que defina esse sentimento que tá rolando? É só amor 💜haha

Escolhi dois elementos que gosto muito e fazem vista numa roupa: jaqueta jeans oversized e gola rolê.

QGLH0832

A jaqueta virou modinha e ficou muito mais fácil de encontrar nas lojas fast fashion da vida. A fama tem sentido, porque é o tipo de peça que causa impacto, muda o look, tem estilo. Amo a opção com calça e mais ainda com shortinho, porque ajuda a me deixar mais à vontade sem estar pelada demais, equilibra tudo, fica sucesso da Bahia. 😂

Ela traz um volume adicional sim, mas se você tem a parte de cima do corpo mais estreita, isso é super indicado. Se não tem, use mesmo assim e seja feliz! 😉

Já a gola rolê tem muita gente que não curte. Parece agoniante mesmo, mas sabe que nem achei? Esperta que sou (e graças a esperteza de quem criou a blusinha também), comprei um cropped com a tal gola. Olha que beleza. Consigo ficar bem plena na moda, mas sem morrer sufocada suando loucamente no calor de Salvador. Genial! 😍 Ah, esse tipo de gola é bem boa para quem tem o pescoço muito longo e quer dar aquela disfarçada.

Tem outros detalhes de menor destaque que também acho muito fáceis de incorporar. A corrente discreta por cima do top, o cinto estampado, a junção de dois jeans de lavagens distintas, a própria calça na modelagem mom jeans que está mais vista do que nunca!

Como disse antes, é só amor mesmo por tudo que consegui colocar numa roupa só haha Gostaram?

Mix de estampas

Tem duas palavrinhas que podem assustar os mais despreparados: misturar estampas.  Eita lasqueira, e agora?

Calma, jovem. Nem tudo é tão difícil quanto parece. Vem, comigo.

A arte de misturar estampas requer treino e paciência para ir subindo um degrau de cada vez. Os mais ousados vão querer meter logo um mix de oncinha, zebra e floral. A eles, meus parabéns. Para pessoas mais cautelas (ou medrosas) como eu, melhor ir aos poucos para não causar espanto.

Uma ótima forma de começar é usando os acessórios. Fica tão mais tranquilo misturar assim do que partir para blusa de um jeito e calça de outro, sabe? Escolha acessórios distantes e pronto, se jogue.

IMG_4823

Na foto, optei por uma meia listrada (porque listras é amor eterno) e uma bolsa de oncinha (onça rica, conforme classificação socioeconômica da maravilhosa Constanza Fernandez do blog Futilish). Para iniciar no universo das estampas coordenadas, as listras são certeiras. Com animal print, floral e outras estampas geométricas elas casam com muito mais facilidade do que combinar meio zoológico numa só roupa, por exemplo.

Quando for pegando o jeito, é só ir evoluindo, aproximando as estampas no look, usando em peças mais chamativas. Quando você se der conta, já estará tão profissa quanto Thassinha Naves haha

Tá na hora de sair da zona de conforto

Explorar novas experiências traz tanto conhecimento! Pena que há quem não esteja disposto a conhecer o novo por puro preconceito ou por preguiça. Até na hora de se vestir.

Todos os dias temos que escolher alguma roupa para usar. Para alguns, isso pode ser um fardo tão grande, por tantas questões distintas, que elas preferem simplesmente não pensar sobre isso. Entram no modo automático, traçam um padrão de vestimenta o mais prático possível e que nada as representa e pronto.

Como não pensar e buscar melhorar algo que você faz sempre? Se você não se sente à vontade nas roupas que escolhe, não acha que é hora de rever isso?

fotoooo
Você não precisa ser fashionista. Mas se não está feliz com o resultado dos seus looks e não se vê neles, tá na hora de mudar o padrão e buscar o seu eu!

Na foto, estava vivendo uma experiência diferente e que me tirou da zona de conforto. O que você tem feito de novo para melhorar como se sente?

A felicidade vai além da imagem

Que eu gosto de trabalhar a minha imagem e a dos outros não é novidade para ninguém, afinal sou justamente consultora de imagem! Mas cuidar de si mesmo vai além disso. Para nossa imagem estar boa é preciso olhar para dentro, se entender e se valorizar. Dar prioridade a nós mesmo está em falta atualmente. Só que não deveria ser assim.

Hoje me dispus a ter um domingo bem diferente. Você sabia que aqui em Salvador existe um parque incrível que tem até cachoeiras? Eu tô falando do Parque São Bartolomeu, que fica no subúrbio da cidade. E o melhor? De graça! E não me venham dizer que é longe, porque quando é para pegar a linha verde ninguém acha que é tão longe assim, hum!

fotoo

Estou bem longe de ser zen ou fitness, mas é massa fazer um programa diferente como esse. Na verdade, é fundamental praticar pequenos atos que te tragam felicidade todos os dias. Quando estamos bem, mostramos ao mundo e isso é muito mais importante do que saber coordenar estampas ou fazer um delineador gatinho bapho.

fotooo

Seja aqui no parque, na praia, na varanda de casa, com amigos ou sozinho, é imprescindível buscar a nossa felicidade, encontrar nosso lugar nesse mundo e ser feliz durante o caminho.

Tecidos naturais x Tecidos sintéticos

Num passado semidistante, fui muito faceira aproveitar uma promo esperta e arrematei uma camisa social verde militar. O que a danada tinha de bela, tinha de quente. Infelizmente só descobri isso quando tive a brilhante ideia de usá-la para uma entrevista de estágio. No percurso ridículo de no máximo 15 minutos no buzão sauna de Salvador, suei como uma condenada e cheguei lá numa triste situação. Não foi legal. Além de tudo, como a cor era escura, tive que lidar com aquelas conhecidas manchas de suor BEM aparentes na roupa. Adivinha? Não passei na seleção.

Dramas à parte, tudo isso aconteceu por um motivo básico: o tecido da camisa era sintético e de baixa qualidade, incompatível com o calor absurdo que faz nessa cidade sol. Daí que agora, anos depois, já estudando sobre tecidos na faculdade de moda, descobri algumas coisas que agora venho compartilhar com vocês.

Primeiro de tudo, não podemos colocar, de forma irresponsável, uma hierarquia entre tecidos e dizer que os de fibra natural são sempre melhores que os de fibra sintética. Não é bem assim que a banda da tecelagem toca. Tudo depende da finalidade da compra.

Além disso, existem tecidos sintéticos de alta qualidade, já que a indústria têxtil vem investindo na tecnologia para aprimorar os produtos e agradar o consumidor.

Para evitar esse probleminha que passei é bem simples. Basta ler a etiqueta! Eu sei que você não lê e muito possivelmente também não saiba diferenciar lé com cré, mas um conhecimento raso já dá uma ajudada.

Tecidos naturais são mais leves e a troca de calor rola de modo mais efetivo, ou seja, você provavelmente vai suar menos. Tecidos sintéticos costumam diminuir essa troca com o ambiente, já que são como um plástico, então além de mais quentinho, não colaboram para deixar o desodorante em dias.

Imagina se cobrir de noite com um lindo lençol de poliéster? Talvez dormir com uma camada plástica não seja a coisa mais confortável a se fazer nesse verão eterno da nossa cidade. Mas talvez usar uma camisa de algodão não faça sentido num ambiente frio. Viu como tudo é adequação?

O mundo dos tecidos é muito vasto, mas umas noções iniciais já podem te ajudar na próxima compra!

Você é viciado em comprar?

IMG_5750

Comprar é uma fonte de prazer indiscutível. Duvido encontrar um ser vivente que não se sinta bem ao finalmente conseguir o que estava desejando, seja de que valor for. A cilada acontece quando comprar se torna uma prática tão habitual que a necessidade efetiva da compra fica em segundo plano.

Se você está tão acostumado a adquirir peças que não pensa mais antes de praticar o ato, é hora de ligar o alerta! Todo excesso esconde uma falta. Uma frase clichê, mas cheinha de verdades.

No contexto de moda é muito fácil perder o prumo e sair torrando dinheiro sem precisar. É mais fácil, ainda, criar uma necessidade que não existe só para se deleitar com o prazer da compra. Afinal, tem tanta blusinha bonita nesse mundo!

Estou muito longe de ser psicóloga, mas acredito que uma boa forma de barrar esse ciclo vicioso é pensar sobre o impacto das compras excessivas na sua vida.

Você costuma desviar o dinheiro de coisas mais importantes para comprar roupas? Tem o hábito de esconder do seu marido/família as novas compras, porque eles já te disseram que você está abusando do cartão de crédito? Você prefere ir ao shopping comprar sapatos do que interagir com amigos? Nunca tem dinheiro para planejar a viagem dos sonhos, mas o guarda-roupa está lotado de roupas?

É, tá na hora de rever isso aí! Consumir de modo consciente é importante para o planeta, mas também para cada um de nós, nossa convivência em sociedade e mesmo o nosso futuro. Pense sobre!

Look todo branco além do Pinterest

Look todo branco costuma ser controverso. Quem se arrisca a usar, fatalmente tem que ouvir umas piadinhas como: virou enfermeira? Nem tô, só acho branco podre de chique mesmo.

Primeiro que usar roupa toda branca é um privilégio. Privilégio de quem não sai se esbarrando em tudo e se sujando por aí com facilidade hahaha

Processed with VSCO with hb1 preset

Dá pra vestir um look all white sem parecer profissional de saúde, é só sair da caixinha, pensar além. Primeiro de tudo, escolha peças que não transmitam essa mensagem. Depois, inclua acessórios! Eles é que vão demonstrar que você pensou no look por completo e não foi apenas jogando as peças no corpo aleatoriamente.

Na foto, usei a mesma pochete do look anterior todo preto. Aqui ele também serviu como um ponto de cor. Além disso, incluí uma meia arrastão de cano baixo.

Que enfermeira, por mais descolada que fosse, usaria pochete, short e meia arrastão? Acho que nenhuma. haha

E se o seu problema com a roupa branca é aquele ultrapassado discurso de que “branco engorda”, me faça uma gentileza e esqueça isso!

Deixar de usar uma cor apenas porque alguém disse que ela não foi feita para o seu corpo é um absurdo sem tamanho! Que tal rejeitar as regras e opiniões alheias e focar no que você gosta?

Vamos falar sobre cabelos?

Se tem uma coisa que costuma nos dar trabalho é cuidar de cabelo! Tenha você o cabelo que for, toda mulher tem alguma reclamação para fazer sobre seus fios.

Mesmos sendo tão importante para nós, vejo poucas mulheres que investem em penteados no dia-a-dia, já observaram? As brasileiras costumam amar cabelos longos e soltos. E fim. No máximo um rabo de cavalo nos dias em que os fios não estão colaborando.

Recentemente, até vi um meme falando algo como “quando me virem na rua de cabelo preso, é porque desisti de mim naquele dia”.

Gente do céu, porque isso? Os cabelos são a moldura do rosto e todo esse discurso já conhecido, mas podemos usar dele de tantas formas para transmitir quem somos.

foto

O penteado também demonstra nossa personalidade e serve para comunicar. Pena que as mulheres usam tão pouco esse recurso no cotidiano, se limitando a usar sempre os cabelos soltos, sem informações adicionais.

Na foto, estava num dia inspirado em que decidi fazer um babyliss. Toda vez que uso o cabelo assim, alguém ou elogia ou me pergunta como fiz haha Sinal de que não estamos acostumadas a sair do basicão, né?

Já pensou em fazer um penteado, textura, usar um adereço ou qualquer coisa que mude seu look capilar não somente em grandes eventos? É massa e até muda a forma como nos vemos. Quando opto pelos cachos, me sinto mais poderosa e acho que as selfies até saem melhor, juro! haha

Ponto de cor

Para as góticas de plantão, inserir uma corzinha no look pode ser a maior dificuldade. Eu sei como é sempre preferir a versão preta da roupas quando estamos comprando, também passo por isso haha

Mas se você deseja começar a mudar esse cenário, mesmo que aos poucos, a forma mais prática é colocando um ponto de cor! Legal, mas onde esse tal ponto está localizado no mapa? Onde você quiser.

A ideia é escolher algum elemento da roupa como ponto focal, que será colorido. Assim seu olhar basicão neutro não se assusta com tudo muito chamativo, mas o look ganha um quê mais interessante.

IMG_4757

Na foto, usei a pochete vermelha em formato de boca. Acho meio impossível usar um adereço desses e ninguém notar, mas pela roupa ser toda preta ele ganha ainda mais protagonismo.

O mesmo poderia ser feito com um brinco grande, maxi colar, sapato colorido, cinto, bolsa, são infinitas as possibilidades. E, claro, com uma peça de roupa que seja o principal no look. O que importa é conseguir dar um toque diferenciado e sair do básico!